Fala Curitiba chega ao Parolin e Uberaba nesta segunda-feira

O novo modelo de consultas públicas nos bairros chega ao Parolin e Uberaba nesta segunda-feira (5/6). No Parolin, o encontro será na Paróquia Santo Antônio, na Rua Alferes Poli, 3.390. No Uberaba será na Sociedade Bola de Ouro, na Avenida Senador Salgado Filho, 3.829. Os dois encontros começa às 19h.
“É muito importante esse encontro, lá podemos aprofundar o nosso trabalho, ampliar e ordenar as ações em cada região. O Uberaba tem grandes desafios de regularização fundiária, pavimentação e saúde”, comenta Márcio José Nunes, administrador regional do Cajuru, responsável pelo bairro Uberaba.
No bairro Parolin o evento será conduzido pelo administrador regional do Portão, Gerson Gunha. “Contamos com a importante liderança do Edson do Parolin, que tem trazido importantes questões da região para a gestão pública municipal. O encontro com a comunidade é fundamental para entendermos as prioridades do bairro”, comenta Gunha.
Como funciona
O Fala Curitiba é composto por quatro fases, onde se busca a priorização de ações necessárias nos bairros e que serão indicadas para a Lei Orçamentária Anual (LOA).
Na primeira fase, acontecem reuniões nas regionais – algumas optaram por fazer uma por bairro; outras, reuniram vários bairros em uma única reunião. Os moradores integram um grupo de discussão por tema (Saúde, Educação, Meio Ambiente), dependendo das obras que apontam ser necessárias no bairro. Depois de alguns minutos de discussão, intermediada por um técnico da área, pretende-se chegar a um número máximo de três prioridades por tema.
Na segunda fase do Fala Curitiba reúnem-se as prioridades de cada área e, dentro da Administração Municipal, sem a presença da comunidade, existirá uma validação por critérios técnicos, orçamentários e jurídicos. Pretende-se chegar a um número máximo de 20 ações priorizadas por regional.
Na terceira fase acontecerá uma grande reunião por regional – uma prévia da consulta oficial. As 20 ações priorizadas serão apresentadas detalhadamente (com orçamento aproximado, número de beneficiários e tempo de execução) e colocadas em votação para que se chegue a dez ações priorizadas.
Na quarta fase acontecerá a Consulta Pública Oficial para a LOA, onde as dez ações resultantes serão novamente apresentadas e colocadas em votação para que se chegue a cinco ações por regional. “Ao final do processo, haverá 50 ações priorizadas na cidade, para as quais se buscarão recursos necessários à realização”, explica Adriane Santos, coordenadora técnica do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), órgão gestor do Fala Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *